Assinatura RSS

Tá frio.

Publicado em

Aí começou o frio, depois de um verão muito, muito quente. A coisa que eu mais vi no Facebook nos últimos dias foi gente feliz com a chegada do frio. Queria muito ver essa galera toda levantando de manhã, saindo da cama quentinha e colocando diversas camadas de roupas geladas pra sair de casa no frio delicioso.

Quando a gente tem que acordar pra trabalhar/estudar no frio, não dá vontade de sair da cama nunca, porque nesses momentos ela é o melhor lugar do universo inteiro. Quando tá calor, a gente já sai correndo pro banho, porque o sol já tá batendo na janela e deixando tudo abafado. E não há ventilador que resolva.

Aí pra tomar banho no frio é um drama. Tem que ter toda uma preparação psicológica antes. E tem que raciocinar, escolher todas as roupas que vai por e fazer uma pilha por ordem do que vai ser colocado primeiro. No calor, escolher roupa é bem fácil. As combinações básicas possíveis são: vestido, saia+blusa, calça+blusa, shorts+blusa. (Entenda-se por “blusa” qualquer coisa que veste o tronco). No inverno tem que colocar meia calça por baixo da calça, ou duas meias-calças por baixo da saia, mais segunda pele, malha, blusa de lã, casaco, cachecol, etc, etc, etc. E isso tem que ser visto com antecedência, antes do banho, porque tá um puta frio e não dá pra ficar sem roupa na frente do armário fazendo combinações.

Mas aah, o calor…a gente já sai do banho começando a suar, vai pro quarto, liga o ventilador, passa hidratante e sai com o primeiro vestido mais solto que aparece no armário. No frio é quase isso. Eu coloco a primeira calça e o primeiro moletom que aparecem, por cima do pijama mesmo. E combino com o primeiro tênis que estiver jogado embaixo da cama. Aí saiu na Época essa semana que pijama é tendença. Me senti trendsetter: vou de pijama pra UEL desde 2009.

E falando nisso, os caras ficam mais elegantes no frio. É porque o frio diminui significativamente as chances deles saírem de casa com bermuda estampada e camisa de time ou listrada. Algumas mulheres também ficam elegantes, o que não é o meu caso. Mas sempre tem alguém pior e eu tenho vontade de chorar no cantinho toda vez que vejo uma blusa de lã exibindo uma pança indecente. Dica de moda bom senso rápida: barriga de fora não é bonito nem no calor em gente magra. Fora as botas plataforma por cima de calças que não são suficientemente justas e ficam meio bufantes.

O tempo que eu demoro pra me arrumar pra sair a noite no calor é o tempo que eu demoro pra escolher uma roupa pra sair no frio. Já falei das meias calças, casacos e blablabla. A vantagem é que no frio, a maquiagem não derrete. No calor, começa a derreter antes de sair de casa. No meio da festa, eu to a cara do Coringa. E não há Benefit que resolva.

No calor eu poderia me alimentar essencialmente de sorvete e cerveja. Poderia, mas essa é justamente a época das festas de família, então todos os dias tem um evento cheio de comida. Aí a gente come pra caramba, depois se joga num sofá com a barriga pra cima meio passando mal. E a pele fica grudando no sofá. E a pressão tá lá embaixo. No frio também tem um monte de comida. Daquelas que esquentam a barriga e a gente vai pro sofá e dorme feliz. Mas é horrível pegar um copo de cerveja e a garganta inflama só de pensar em sorvete. No frio, metade da quantidade de água que geralmente eu tomo é revertida em chás, porque além de tudo, a caneca quentinha esquenta a mão. Tenho horror a mão gelada.

Frio me dá muita, muita preguiça. Mal consigo me mexer. Dá vontade de virar o Garfield: comer, dormir e ter uma pele quentinha pra nunca precisar trocar de roupa. No calor, apesar da moleza e de ficar grudando, eu fico animada pra sair de casa, andar no centro, ir pra piscina, pro bar, tomar sorvete e desfilar meus vestidos novos. Mas se eu fosse rainha do mundo, ia regular o termômetro em uns 23°C. Como eu não sou, declaro encerrada a temporada de shorts e vestidos leves. Está aberta, portanto, a temporada de cobertores, filmes e conhaque.

Hoje, quando cheguei na UEL e fiquei lá, passando frio, a primeira pessoa em quem eu pensei foi no Miguel, meu sobrinho. Pensei no Pedro também, mas no Miguel primeiro, porque ele mora em Porto Alegre e foi lá que eu passei o pior frio da minha vida. Mandei uma mensagem falando pra minha irmã agasalhar bem o nosso nenezinho, mas aí lembrei que ela não deixava o moleque sem meias nem no verão de Londrina.

Anúncios

»

  1. danielcdias

    Obrigado pelo post, Nenê. Adorei!
    E viu como o frio é bom? Até te anima a escrever. Um dia te dou um notebook de presente, aí você vai poder escrever debaixo das cobertas. :)
    Saudades de você, Danielzinha.
    Logo, logo nos veremos.
    Beijoca.

    Responder
  2. Nossa Má! Eu também ODEIO frio. Com todas as minhas forças….. O Miguel coitadinho, deve estar com umas três meias no pé…. Agora, pensa numa criança que arranca a meia e fica com o pé no chão! O Pedro não pára com meia de jeito nenhum… coloco a meia, quando viro pro lado, ele já arrancou…. esse é o Pedro! Beijos e saudades ! Nos vemos daqui uns dias!

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: