Assinatura RSS

Minha vida não é fluxograma.

Publicado em

Antes de qualquer coisa, eu preciso contar uma historinha:

Minha mãe tinha 37 anos, era casada, tinha 3 filhos pré-adolescentes e um mestrado feito. Aí ela descobriu que tava grávida. Já era uma família completa, ninguém imaginava mais uma criança ali.

Aí eu nasci. Pasme, universo: foi sem planejamento nenhum e sim, ficou tudo bem.

(Meu pai sempre contava da bronca que ele levou quando minha mãe descobriu que ia ter mais um filho: “como se eu tivesse feito sozinho essa tranqueira!”)

E agora, 21 anos depois, com universidade feita e tudo, eu tenho que responder o que eu quero fazer da minha vida. Não sei. Não fui planejada, nunca planejei nada, achava um absurdo ter que decidir uma profissão com 17 anos e tudo que funcionou ou mudou minha vida até hoje foi inesperado. Aí eu tenho que lidar com caras de espanto quando eu digo um “não sei.”

Nooooooossa, mas o que você gosta de fazer? Rádio? TV? Cooooooooomo assim qualquer coisa que aparecer? Do que você gosta mais? E uma pós? Um mestrado? E ir pro exterior? Vai ficar em Londrina?

De novo: N-Ã-O  F-A-Ç-O  I-D-E-I-A.

Sabe por que? Porque não, a minha vida não é um fluxograma. Porque eu sempre tive preguiça de gente que achava que felicidade era ter um namorado, entrar na faculdade, se formar, casar, ganhar não sei quanto, comprar apartamento e dali dois anos ter um filho.

mafalda-fluxo

Porque eu gosto mesmo de surpresa e frio na barriga. Não consigo entender o que existe de tão absurdo em não saber aos 21 anos (!) se casa ou compra uma bicicleta. E sim, eu estou morrendo de medo do que pode ou não me acontecer nos próximos meses. Mas pode vir o que for, não tem problema. Logo tudo vira aprendizado.

Por hora, só digo isso:

HAHAHAHAHAHA.

Anúncios

Uma resposta »

  1. existe um conforto em não saber o que fazer. A hora que voce descobre, tudo fica mais fácil, mais leve. Eu sempre soube o que queria fazer, me formei, trabalhei na área, ganhei prêmios mas me frustrei. Agora não sei o que fazer da vida e a pergunta que fazem pra mim é: mas e a moda, stephanie? Alguém sempre vai fazer uma pergunta inadequada. Uma hora ou outra, sempre vai ter alguém pra fazer uma pergunta daquelas bem doídas, como se você já não tivesse pensado nisso. Como se não fosse a primeira coisa que você pensa quando acorda e a que mais te martela o pensamento o dia todo… Mas o que não te mata, te fortalece, Ma. E você é brilhante. Sabendo ou não o que quer fazer.

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: